Tufo

Tufo

O Portal da Música Moçambicana convida a todos interessados a contribuir com informação pertinente sobre músicos, bandas, instrumentos e géneros musicais que o façam pelo email info@portaldamusica.org.mz. Obrigado pela contribuição

Apresentação

Tufo é uma manifestação musical dançante que foi difundida na Ilha de Moçambique, por volta de 1930 suspeitando-se que tenha sido trazida por um comerciante de Quiloa, uma ilha no Indico pertencente à Tanzânia.

A designação de TUFO deriva, provavelmente, do nome árabe Ad-duff, nome atribuído aos pandeiros que são usados na dança. Em português, essa palavra terá evoluído para adufe, ou adufo, e, posteriormente, para TUFO. Historicamente, esta dança era executada por bailarinos de ambos os sexos, mas, actualmente, só em raras ocasiões se lhes juntam homens. Tradicionalmente, o TUFO era executado com bailarinos ajoelhados e movendo as metades superiores dos seus corpos. Contudo, actualmente, a coreografia foi-se alterando, permitindo que os bailarinos possam levantar-se e movimentar inteiramente os seus corpos. O nome genérico dos tambores unimembranófonos do Tufo é TAWARE. Cada um deles, porém, tem um nome próprio, con¬soante o seu tamanho. A designação de cada Taware varia de região para região. Normalmente, tocam simultaneamente quatro tipos de tam¬bores, nomeadamente: BAZUCA, que é o maior deles todos e produz o som mais grave e suas batidas são mais compassadas; NGAJIZA, que é o tambor médio; APÚSTUA ou COSTA, ligeiramente mais pequena, e o DUÁSSI ou LUÁSSI, que é o mais pequeno de todos e tem um batimento seguido, pois marca o ritmo da música. Estes tambores, que podem ter uma forma quadrada, redon-da, hexagonal ou heptagonal, são muito estreitos e feitos de madeira e cobertos, apenas de um lado, com pele de antílope. Alguns destes tambores (Bazuca e Ngajiza), podem ter, lateralmen¬te, chapinhas metálicas. Para tocar Taware, o tocador segura-o com uma mão, enquanto com a outra percute a membrana.

Outras Informações


Parceiros