Aly Faque

Aly Faque

  • NOME COMPLETO
  • Aly Faque
  • NATURALIDADE
  • Angoche
  • IDADE
  • 55
  • INÍCIO CARREIRA
  • 1980
  • BASEADO
  • Maputo e Nampula
  • PROVINCIA
  • Nampula
  • INSTRUMENTOS
  • Vocalista
  • GÉNERO MUSICAL
  • Folclore
O Portal da Música Moçambicana convida a todos interessados a contribuir com informação pertinente sobre músicos, bandas, instrumentos e géneros musicais que o façam pelo email info@portaldamusica.org.mz. Obrigado pela contribuição

Biografia

Aly Faque é marcado por uma notável força de superação advinda da sua condição de vulnerabilidade numa sociedade em que o albinismo é objeto de preconceito e de graves violações para com os seus portadores. Ainda em decorrência do albinismo, teve de abandonar os estudos no ano de 1983, quando cursava a 5ª Classe do período nocturno na Escola Secundária de Nampula. Os problemas de vista congénitos aos portadores desta anomalia orgânica acabaram por dificultar o seu processo de aprendizagem. Diante de tais adversidades, foi neste momento que decidiu apostar ainda nas atividades que já desempenhava como músico amador, nas ruas da cidade de Nampula, já desde os princípios da década de 1980. Neste período, foi fortemente influenciado pela música popular em voga na altura, pela música tanzaniana, pelas tradições do tufu e n’sope (danças típicas da Província de Nampula) e particularmente, pelas canções dos filmes indianos, que imitava mesmo sem saber falar hindi.

De tal maneira que a sua aprendizagem musical deu-se sobretudo de forma auto didática, resultante também do encerramento da Escola de Música de Nampula (em princípios da década de 1980), onde pretendia ingressar para estudar música. Entretanto, na sequência das suas atuações ambulantes como músico de rua, teve a oportunidade de conviver com os músicos da Escola Militar de Nampula, com quem desenvolveu a sua aprendizagem musical e prática de conjunto.

A partir da segunda metade da década de 1980, agravou-se a crise da indústria musical em Moçambique, que resultou em maiores barreiras para os músicos nacionais em termos de possibilidades de gravação. Já na capital do país e com o apoio de Stewart, Aly Faque pôde aceder ao estúdio profissional de gravação da Rádio Moçambique, o único do país na altura, altamente concorrido. E como prova do seu talento e tenacidade, logo no ano seguinte à sua chegada, em 1996, foi galardoado como o “Prémio Revelação” no Ngoma Moçambique, , com a canção Tufo wa Moçambique.

Discografia

  • Título Kinachukuro
  • Produtora Three House
  • Ano 1997
  • Título Likorea
  • Produtora -
  • Ano 2001
  • Título Iyarussuli Llam
  • Produtora -
  • Ano 2003

Parceiros