https://static.portaldamusica.org.mz/cImages/5_0000000000/img000262-518-20220331-101949

Inácio Magaia

  • NOME COMPLETO
  • Inácio Pereira Magaia
  • NATURALIDADE
  • Maputo
  • IDADE
  • 73
  • INÍCIO CARREIRA
  • 1960
  • BASEADO
  • Maputo
  • PROVINCIA
  • Maputo
  • INSTRUMENTOS
  • Guitarra Clássica
  • Guitarra Elétrica
  • GÉNERO MUSICAL
  • Marrabenta
  • Folclore
O Portal da Música Moçambicana convida a todos interessados a contribuir com informação pertinente sobre músicos, bandas, instrumentos e géneros musicais que o façam pelo email info@portaldamusica.org.mz. Obrigado pela contribuição

Biografia

Inácio Pereira Magaia é um guitarrista com atividade em vários conjuntos desde a década de 1960. Natural de Lourenço Marques (atual Maputo), cresceu na zona suburbana da cidade, no bairro do Chamanculo. O seu interesse pela música foi, em grande medida, impulsionado pela sua participação no Núcleo de Estudantes Secundários Africanos de Moçambique (NESAM), juntamente com Joel Libombo, Yana e Soeiro Samuel. A ligação do NESAM ao Centro Associativo dos Negros permitiu-lhe começar a ter contacto com os músicos que aí atuavam, como por exemplo a Orquestra Djambo, o Conjunto Harmonia e os 4 Ases. Sendo estudante no liceu António Enes (Alto Maé), foi aí que ocorreu a sua primeira atuação musical, integrado num conjunto formado com alguns dos seus colegas.

Foi guitarrista de conjuntos tais como Psicobanda, Os Cometas e Os Fantasmas. O repertório destes conjuntos incidia sobre a música que passava na Rádio Clube de Moçambique, com a interpretação de canções popularizadas sobretudo por artistas brasileiros, franceses e italianos. Estes conjuntos tocavam em associações profissionais e festas dos bairros suburbanos, e também nas associações regionais portuguesas situadas no centro da cidade (conhecido como “cidade do cimento”) de Lourenço Marques. Com Os Fantasmas exerceu atividade profissional no cabaret Pinguim, situado na Rua Major Araújo, na baixa de Lourenço Marques. Atuou regularmente noutros cabarets da Rua Araújo substituindo músicos dos conjuntos residentes durante as suas folgas.

Interrompeu a sua atividade musical no início da década de 1970 devido à sua vida profissional nos Caminhos de Ferro de Lourenço Marques. Voltou a tocar já depois da independência de Moçambique, integrando as novas formações da Orquestra Djambo.


Parceiros